04 fevereiro 2015

Resenha - Crepúsculo


Eu li essa saga na seguinte ordem: Lua Nova, Eclipse, Amanhecer e por último Crepúsculo. Foi nessa ordem porque eu acabei assistindo Crepúsculo no cinema e consequentemente fiquei super curiosa para saber o que ia rolar no segundo filme, por isso eu dei preferência à adquirir/ler Lua Nova primeiro. 
Fazia mais de um ano que Crepúsculo estava esquecido no meio de alguns livros de uma de minhas caixas. O meu interesse em lê-lo só despertou após rever uma ''quase'' maratona da saga. Eu queria saber detalhes, o que os produtores do filme haviam retirado ou acrescentado, etc.
Eu achei o livro mais completo do que o filme, obviamente. E a Bella pareceu ter um pouquinho mais (porém, bem pouquinho mesmo) de amor próprio, ao menos foi o que pareceu (mas entre parecer e ser, existe uma longa distância) . Mas, continuando...
Crepúsculo na minha opinião é um livro ''ok''. E posso acrescentar sem medo que Stephenie Meyer descreve emoções/sentimentos como ninguém. Me lembro que quando li Lua Nova meu coração ficou apertado como se estivesse em uma caixinha de fósforos. Se tem uma coisa que ela realmente fez foi conseguir transmitir o que a Bella estava sentindo naquele momento, com a partida de Edward. 
Eu acho que tanto o filme, quanto o livro tem pontos positivos e negativos (dos quais eu não gosto, de verdade). E dentre esses pontos negativos, posso citar o fato da Bella sentir esse amor incondicional pelo Edward, é como se ela estivesse colocando-o no lugar de Deus. Tanto o livro quanto o filme sugerem isso... E não só por parte dela, mas dele também. 
Antes do prólogo do livro Crepúsculo: Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.
E uma das frases também que mais me incomodou, foi a seguinte frase de Edward: Estou quebrando todas as regras agora, de qualquer forma, já que estou indo para o inferno é melhor fazer isso direito.
Fora as mensagens subliminares, ou não tão subliminares assim, como a ''ideia'' do Edward ser o fruto proibido, ou seja, o próprio pecado.
Havia necessidade para isso?! Acho que não.
E isso mostra que Stephenie Meyer estava tentando passar a ideia do que o que Bella estava fazendo era mais do que um erro, era um pecado. Mas, com um vampiro que brilha, em um volvo prata reluzente, apaixonado e conservador, isso realmente não importa (?)
Mas, na minha opinião importa SIM. E muito. Então, eu acho que ela errou e feio em alguns aspectos.
Não estou dizendo que odeio Crepúsculo, pelo contrário sempre tive uma simpatia com o filme/livro, acompanhei a saga do começo ao fim. Até porque antigamente eu gostava muito de vampiros, eu achava que era um máximo não morrer, ter uma super força, ou voar (?). 
Brilhar no entanto, nunca havia passado pela minha mente... Enfim, resumindo eu era uma garota bem diferente, haha. Mas, vamos falar do presente! 
Muitos tiram onda, acham a história boba, mas eu acho que o mais importante é mostrar o que está errado e o que está certo. O que deve ser observado no filme e na leitura, devemos entender certas insinuações da autora e tomar cuidado com elas.
Esse filme/livro é um tipo de filme que me distrai, minha relação com ele é de simpatia e ao mesmo tempo descontentamento.  



3 comentários:

  1. Nossa, assustei aqui. Ainda resenham Crepusculo? Estou ficando velha, socorro.
    Esse livro é um classico -qq
    Como não amar? jxisdhufc

    xoxo
    Nesu, do UCSE ~ Um Céu sem Estrelas
    http://umceusemestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já conhecia Crepúsculo, como disse na postagem. Mas, não havia lido o primeiro livro.
      Beijos!

      Excluir
  2. Não li nenhum livro da saga, mas assisti aos filmes, pra mim é um pouco decepcionante, eu achei meio parado, as falas quase não existe, mas é um filme que tenho simpatia por ele, não sei explicar o porque!
    Xeru!

    http://coisinhasdeangel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expectativas Reais
Layout desenvolvido por: Daniela da Silva
Tecnologia do Blogger